MAÇONARIA SEGUE VIVA E ATUANTE POR UM BRASIL MAIS JUSTO


Kamel Aref Saab (*)

É quase impossível ir a uma banca de jornal em uma capital brasileira e não deparar com alguma revista estampando em sua capa o símbolo que une esquadro e compasso, acompanhado de um título em letras garrafais como “Segredos revelados”, “Entenda a sociedade secreta” ou outro chamariz para atrair os leitores mais curiosos.

Sem entrar no mérito da qualidade dessas produções jornalísticas, podemos garantir que uma estrutura base sempre se apresenta, abordando o papel da Maçonaria na história brasileira e mundial, assim como grandes Irmãos que mudaram o mundo com seus ideais e trabalho. É natural que uma instituição que já soma 300 anos de atuação no mundo e 196 no Brasil seja reconhecida e referendada por sua história. Mas o que não circula pelas páginas das publicações ou blogues de curiosos a respeito da Ordem é o peso que essa herança tem para os Maçons de hoje. É com base nesse chamado e em nossa responsabilidade enquanto vanguarda da sociedade civil que o Grande Oriente de São Paulo, comparável ao Governo Estadual dentro da estrutura da Ordem, encabeça o projeto das 33 Medidas para um Brasil Justo e Perfeito. A missão é contribuir para o resgate de uma sociedade mais justa, sustentável e com igualdade de condições de desenvolvimento.

Apenas falando de nosso País, a Maçonaria acumula feitos como a atuação na abolição da escravatura, independência, proclamação da República e mesmo redemocratização do Brasil, sempre exercendo seu papel de protagonista na luta pelo progresso e evolução social. Um currículo como esse, acompanhado pelo momento atribulado que o País atravessa hoje, é um chamado que ecoa entre todos os Maçons.

As 33 Medidas são um trabalho conjunto a ser construído, uma pedra bruta, como dizem os Maçons. A Maçonaria de São Paulo age como um catalisador, reunindo Irmãos e cabeças pensantes da sociedade brasileira para unir visões e corações com o objetivo de resgatar valores como civismo e cidadania para um Brasil que vive tempos de imperfeição e injustiça.

O lançamento oficial foi na Câmara Municipal de São Paulo no final de março, com a presença de mais de 150 pessoas, entre Irmãos, autoridades maçônicas, legislativas, civis e militares que se reuniram para ouvir palestrantes renomados sobre desenvolvimento econômico, sustentabilidade, construção social e política e integração com a sociedade, pilares que sustentam o projeto. O primeiro de muitos encontros teve a presença do Exército brasileiro, Ordem dos Advogados do Brasil e Tribunal de Justiça de São Paulo.

Durante os meses de abril, maio e junho, ocorrerá uma série de reuniões, levando a diversas camadas da sociedade civil a possibilidade de contribuírem na construção das Medidas, que têm sua elaboração final marcada para julho. Por fim, o lançamento do projeto coletivo concretizado se dará em agosto, mês em que é celebrado o Dia do Maçom. Mais do que permitir uma participação ampla da sociedade, esse cronograma permite que as 33 Medidas estejam prontas para serem apresentadas à sociedade e ao poder público antes das eleições, quando os candidatos apresentam seus planos de governo e buscam o apoio da Maçonaria.

Tendo em mãos um documento fruto de uma inteligência coletiva orientada pela melhora do Brasil, temos meios de exigir dos detentores do poder político a implementação de medidas fundamentais para mudar o cenário do País. Além da esfera política, o caráter colaborativo das 33 Medidas permite que estas sejam eixos orientadores para projetos da própria sociedade civil que as criou, construindo uma ação coordenada de diversos atores pelo bem comum.

A mesma Maçonaria que ajudou a construir o Brasil norteada pelos ideais de liberdade, igualdade e fraternidade segue viva, não silente ou absorta em passado como se imagina. Como Maçons que somos, entendemos nossa herança histórica e a responsabilidade que carregamos em lutar pela construção do mundo que queremos. Não há obra que se erga sem que na argamassa esteja misturado o suor do pedreiro.

(*) Eminente Irmão Kamel Aref Saab
 Grão-Mestre do Grande Oriente de São Paulo (GOSP)

Share on Google Plus

Editor Luiz Sergio Castro