A Maçonaria e a segurança pública

Por Gercy Joaquim Camêlo
A Maçonaria pugna pelo aperfeiçoamento moral, intelectual e social da humanidade, por meio do cumprimento inflexível do dever, da prática desinteressada da beneficência e da investigação constante da verdade.
O Maçom tem o dever de amar a família, ser fiel à Pátria e obediente às leis; condenar a exploração  do homem, os privilégios e as regalias; de repudiar a violência e a criminalidade; de lutar pela construção de uma cultura de paz, entre os homens e as nações. O Maçom é um mensageiro da paz. Leia mais
O artigo 144 da CF diz: “A segurança pública, dever do Estado, direito e responsabilidade de todos, é exercida para a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio, através dos seguintes órgãos: PF, PRF, PFF, PC, PM e Bombeiros”. Este texto constitucional deixa claro que, é dever do Estado e responsabilidade da sociedade de promover a segurança pública.
Não sei se é falta de compromisso, fuga ou despreparo, a maneira como se trata a segurança pública no Brasil. A mídia, as famílias e a sociedade organizada gritam que o Brasil vive um ambiente de violência insuportável e que a sociedade sente um clima de pavor, fazendo com que as pessoas vivam trancadas em suas casas, assustadas e descrentes com a justiça brasileira.
As pessoas culpam o Estado como o único responsável pelo que acontece no Brasil. Alguns acham que a solução é criar mais uma Polícia(Força de Segurança Nacional), outros gritam que precisamos de uma única Polícia nos Estados e culpam as polícias militares; e outros, que se julgam mais sábios, querem copiar polícias de outros países com costumes e culturas completamente diferentes dos nossos. Diante da caótica situação da segurança pública que vivemos, todos têm o direito de dar a sua opinião e cobrar.
Para quem já atuou nesta  área, como eu, vejo que a violência é consequência e não causa do estado traumático que vivemos. Quando a sociedade se encontra organizada, os órgãos públicos cumprindo os seus deveres, os Poderes da República funcionando com eficiência, a ordem pública é tranquila, os órgãos da segurança pública exercem suas funções para solução de casos normais que acontecem numa sociedade organizada.
A violência brasileira é consequência de uma sociedade corrupta, que aplaude e defende a mentira, que não pratica a justiça, que tem leis frouxas, que são feitas supostamente para defesa do cidadão e são os escapes utilizados por profissionais das leis para defender bandidos.
O problema está tão grave que, chegou-se ao ponto da sociedade duvidar do funcionamento da justiça. Este talvez seja o ponto mais grave, que podemos apontar no momento atual. É muito grave quando não se respeita a pessoa do presidente do Supremo Tribunal Federal. É o STF o ponto de equilíbrio de todo o nosso sistema democrático e já se levanta dúvida se ele é defensor  de ricos e não da justiça, pois os escândalos estão pipocando em todos os pontos do País e os criminosos soltos e os “três P da vida” presos nas prisões infectas do Estado, responsável pela segurança pública.
Numa sociedade organizada o cidadão de bem é quem é respeitado. Numa sociedade desorganizada quem manda, e é tomado como exemplo, é o experto, o vivo, o safado, o que sabe dar o golpe e se utiliza do Poder em benefício próprio. Se o governante rouba, todos se acham no direito de roubar também. O cidadão que dá a propina é tão corrupto como o que recebe. Sem exemplo digno não podemos viver e a violência passa a dominar as ações do dia a dia e os pescadores de águas turvas(sejam de direita ou de esquerda) procuram tirar suas vantagens  e querem implantar a ditadura que serve aos seus interesses. Os black blocs, grupo que organiza as manifestações violentas pelo País, continua fora do alcance da polícia e espera o apoio dos bandidos dominadores dos presídios para entrar em campo e fazer da Copa do Mundo um ambiente de caos.
Pode o Estado garantir a segurança pública quando estão soltos e defendidos por uma sociedade corrupta, falsa e mentirosa, os envolvidos em depredações do Congresso, em roubos comprovados em CPIM do Congresso Nacional, quando com chicanas se evitam que as CPIM apurem e prendem os ladrões da coisa pública, quando criminosos influentes não são presos por matar amantes, congressistas condenados pela comissões de éticas e são absolvidos em plenários e aplaudidos por serem criminosos, quando um pequeno cidadão é perseguido e quem o persegue é defendido pelas leis de execução?
Uma sociedade permissível deste tipo marcha a passos largos para o caos social e o Estado se decompõe e os pescadores de águas turvas se aproveitam para assumir o Poder e impor as suas vontades, desgraças das ditaduras de direita ou esquerda. Fidel, Stalin, Ritler e outros mataram milhões em nome da decência e foram os mais indecentes da história.
Será que os responsáveis ou irresponsáveis  pelo destino desta república brasil não querem entender que, quando o caos chegar, eles serão tragados pelas paixões revolucionárias e que o dinheiro que comprou consciências, o poder que corrompeu cidadãos e o sexo que abriu portas não os salvarão das guilhotinas ou fuzilamento? Ainda há tempo, os Maçons, as pessoas do bem, os bons, as exceções, precisam acordar!
A Maçonaria brasileira esteve sempre presente nos momentos difíceis e nas principais decisões de interesse do Brasil e do povo brasileiro. A Maçonaria foi a grande responsável por movimentos históricos e por gritos de liberdade em defesa da dignidade do homem. Foi por Maçons que se deu o grito de Independência do Brasil, da Proclamação da República, da Abolição da Escravatura.
E o que está fazendo a Maçonaria de hoje, guardiã da liberdade, da igualdade e da fraternidade, ao presenciar a desordem social, a destruição dos valores morais, a desagregação da família e o avanço da violência e da criminalidade? A Maçonaria precisa reagir, salvar o País das garras do inimigo e revitalizar o gripo de liberdade do povo brasileiro. Esse é o nosso dever, do contrário, não seremos perdoados pelas futuras gerações.
No limite de nossa competência, vamos defender a família brasileira, o País, a ética e a democracia; vamos levantar Templos à virtude e resgatar o nosso direito de ir e vir, em segurança, e sob a proteção de Deus. Viva a Maçonaria! Viva o Brasil!
(Gercy Joaquim Camêlo, governador do Rotary International, Distrito 4530, Gestão 2012/2013)
Share on Google Plus

Editor Luiz Sergio Castro