FELICIDADE É UM SENTIMENTO SIMPLES

Por Barbosa Nunes (*)


Melhor uma simples ceia regada pela lembrança do Mestre dos Mestres, que é Jesus, a um farto banquete com as mais saborosas comidas e bebidas de altos graus. Mas isto acontece rotineiramente, especialmente na época das grandes comemorações pessoais e do nascimento de Jesus. O momento do mundo é de guerra, desequilíbrios familiares, estresse, competições pessoais e outras disputas. Isto leva a um esquecimento do amor, deixando o homem sem paz e muitas vezes com ódio no coração.

O que é a felicidade? Dizem que temos apenas momentos de felicidade, mas como disse Madre Teresa de Calcutá: “A felicidade não está no fim da jornada, mas sim em cada curva do caminho que percorremos para a encontrar”. Não podemos sucumbir ao ódio, ao materialismo que escraviza. Busco um belíssimo texto que me inspira e que leio repetidas vezes, no caminhar peregrino que faço em prol de um Grande Oriente do Brasil unido e respeitoso entre os seus integrantes.

Mário Quintana se expõe com a sua alma para definir e sinalizar sobre a felicidade.

"A princípio bastaria ter saúde, dinheiro e amor, o que já é um pacote louvável, mas nossos desejos são ainda mais complexos. Não basta que a gente esteja sem febre: queremos, além de saúde, ser magérrimos, sarados, irresistíveis. Dinheiro? Não basta termos para pagar o aluguel, a comida e o cinema: queremos a piscina olímpica e uma temporada num spa cinco estrelas.

E quanto ao amor? Ah, o amor... não basta termos alguém com quem podemos conversar, dividir uma pizza e fazer sexo de vez em quando. Isso é pensar pequeno: queremos AMOR, todinho maiúsculo. Queremos estar visceralmente apaixonados, queremos ser surpreendidos por declarações e presentes inesperados, queremos jantar a luz de velas de segunda a domingo, queremos sexo selvagem e diário, queremos ser felizes assim e não de outro jeito. É o que dá ver tanta televisão.

Simplesmente esquecemos de tentar ser felizes de uma forma mais realista. Ter um parceiro constante pode ou não, ser sinônimo de felicidade. Você pode ser feliz solteiro, feliz com uns romances ocasionais, feliz com um parceiro, feliz sem nenhum. Não existe amor minúsculo, principalmente quando se trata de amor-próprio. Dinheiro é uma benção. Quem tem, precisa aproveitá-lo, gastá-lo, usufruí-lo. Não perder tempo juntando, juntando, juntando. Apenas o suficiente para se sentir seguro, mas não aprisionado.

E se a gente tem pouco, é com este pouco que vai tentar segurar a onda, buscando coisas que saiam de graça, como um pouco de humor, um pouco de fé e um pouco de criatividade. Ser feliz de uma forma realista é fazer o possível e aceitar o improvável. Fazer exercícios sem almejar passarelas, trabalhar sem almejar o estrelato, amar sem almejar o eterno.

Olhe para o relógio: hora de acordar. É importante pensar-se ao extremo, buscar lá dentro o que nos mobiliza, instiga e conduz, mas sem exigir-se desumanamente. A vida não é um jogo onde só quem testa seus limites é que leva o prêmio. Não sejamos vítimas ingênuas desta tal competitividade. Se a meta está alta demais, reduza-a. Se você não está de acordo com as regras, demita-se. Invente seu próprio jogo. Faça o que for necessário para ser feliz.

Mas não se esqueça que a felicidade é um sentimento simples, você pode encontrá-la e deixá-la ir embora por não perceber sua simplicidade. Ela transmite paz e não sentimentos fortes, que nos atormenta e provoca inquietude no nosso coração. Isso pode ser alegria, paixão, entusiasmo, mas não felicidade".

O grande orador espírita, Divaldo Franco, em página psicografada, de Joana de Ângelis, transmite: “Felicidade é conquista íntima. Se desejas ser feliz, vive, cada momento, de forma integral, reunindo as cotas de alegria, de esperança, de sonho, de bênção, num painel plenificador. As ocorrências de dor são experiências para as de saúde e de paz. A felicidade não são coisas: é um estado interno, uma emoção. Abençoa os acidentes de percurso, que denominas como desdita, segue na direção das metas, e verás quantas concessões de felicidade pela frente, aguardando por ti”. 

Nos últimos anos, cientistas sociais têm chegado a várias conclusões sobre a felicidade. Eles identificam comportamentos, hábitos e maneiras de enxergar o mundo que são mais observados em gente que se declara mais feliz e que desencadeiam sentimentos relacionados à felicidade. Dos muitos alguns itens são: Mexa-se, medite, descanse, seja grato, solidário e por fim, ame!

(*) Barbosa Nunes, advogado, ex-radialista, membro da AGI, delegado de polícia aposentado, professor e Grão-Mestre Geral Adjunto do Grande Oriente do Brasil - barbosanunes@terra.com.br









Share on Google Plus

Editor Luiz Sergio Castro