ZORRO ERA MAÇOM?

Por Ir.'. E. Figueiredo

Para os fãs do Zorro, personagem criado pelo escritor norte-americano Johnston McCulley (1833-1958) cuja estória foi várias vezes filmada, o nome de Don Diego de La Vega soa familiar.
Zorro é um personagem de ficção, criado em 1919.  Ele é apresentado como alter-ego de Don Diego de La Vega, um jovem membro da aristocracia da Califórnia Espanhola, em meados do século XIX, durante a era do domínio mexicano, entre 1821 e 1846.
O herói mascarado é apresentado pela primeira vez na revista norte-americana chamada  All Story Weekly, com o nome de "The Curse of Capistrano" (A Maldição de Capistrano) e logo conseguiu alcançar grande sucesso.
Diferentes gerações, em distintas regiões e circunstâncias culturais, têm-se empolgado com as proezas difíceis e arrojadas, do ágil herói de rosto vendado, de capa e espada em punho.
O enredo mostra Don Diego retornando da Europa, depois de um longo período de educação, e encontra o povo da Califórnia passando por agruras.  Frente à essa situação, passa a defender os fracos e oprimidos sob uma máscara e uma capa preta, empunhando uma espada e cavalgando um cavalo, também negro, de nome Tornado.  O ar altivo, a espada na mão, chapéu e a capa ajudam a criar a imagem de mistério.  Quem seria o herói solitário e desconhecido que ali se esconde e intervém nos momentos em que a justiça dos homens falha ?  A figura passaria a ser chamada de "Zorro" pela população, porque seus movimentos e sagacidade lembrariam uma raposa (a tradução em português da palavra "zorro" em espanhol).  Zorro adota a letra "Z" como sua assinatura (três linhas cruzadas) marcando-a com sua espada em paredes, nas roupas de seus inimigos, como sinal de sua presença.  Sem a máscara, a capa e a espada, ele simula ser um homem que se acovarda diante de situação de perigo.


PUBLICIDADE


O autor procura dar ao personagem as características de, além de um bandido mascarado, um defensor da população da Califórnia contra os governos tirânicos, opressores, corruptos e outros vilões.  Ele luta pela liberdade !

Fábio Troncarelli, historiador da cultura italiana, publicou um livro sobre o mito Zorro apontando que ele teria sido Maçom ( ! ).

Segundo Troncarelli, o criador de Zorro se filiou à Sublime Ordem e se inspirou nas novelas de outro companheiro Maçom, Vicente Riva Palacio (1832-1896).  Cita, também, que a letra "Z" é apenas um símbolo que, inscrito no pentagrama, representa, para os Maçons, força moral e honradez.  Troncarelli afirma, ainda, que apesar das aparências, Zorro não é simplesmente um homem de ação, mas também um herói que recorre à força para afirmar a cultura e a sabedoria, a exemplo dos princípios Maçônicos.  O confronto entre sombra e a luz, enquanto elemento central na definição da experiência Maçônica, tem na vida do herói uma presença efetiva, e, ainda que a existência desse aproximação, na criação do mito, permaneça duvidosa.

A figura de Zorro pode ter sido inspirada na personalidade histórica do mexicano Joaquin Murrieta (1829-1853) uma celebridade lendária na Califórnia durante o período da febre do ouro.  Dependendo do ponto de vista, era um bandido ou um patriota mexicano. Para alguns ativistas políticos o seu nome tem simbolizado resistência latino-americano ante a dominação econômico-cultural dos britânicos nas terras da Califórnia, da época.

A letra "Z", com seu sentido de resplendor, uma alusão à sua Luz Criadora, aparece estampada no avental do Grau 4 (Mestre Secreto).  É a inicial da Palavra de Passe, que por sua vez também é uma espécie de chave que abre a Loja ao Mestre Secreto.  Durante os trabalhos todos os presentes deverão estar vestidos de preto.

A simbologia, pois, do Zorro com a Maçonaria (Máscara, a letra "Z" e as indumentárias negras) estão presentes na ritualística Maçônica.


E o verdadeiro Maçom tem o espírito de ZORRO !!!

Fonte: Verdadeiros Irmãos

RECEBA NOSSAS POSTAGENS EM SEU E-MAIL
Digite seu e-mail:

]
FeedBurner
Share on Google Plus

Editor Luiz Sergio Castro