EM PORTO FELIZ SOB A LUZ DE VELAS COMO EM 1831

Por Barbosa Nunes (*)
Na semana que se finda hoje, 21 de novembro de 2015, percorri em missão maçônica, proferindo palestras em Campinas nas Lojas “Inconfidência do 3º Milênio” e “Nova Ordem do Século”, em Porto Feliz, Loja “Intelligência” e Santos nas Lojas “Antônio dos Santos Costa”, “Malkhut”, e “Monteiro Lobato”.
As sessões maçônicas me proporcionaram acolhida em momentos ritualísticos dirigidos pelos Veneráveis Mestres Luis Fernando Bernardi Pellin, André Luis Silva de Castro Nogueira Neto, Paulo José Nogueira, Emílio Urbano Gonçalves, Lindimar Almeida Santos, Acácio Marques Guimarães Filho.
Assistido, amparado e carinhosamente recebido pelos irmãos maçons, que me acompanharam em todo o longínquo trajeto. Antonio Gaviolli, Antonio Augusto Pires, Edson Barsanti, Flávio de Brito, Egisto Rigoli, José Augusto, Renato de Freitas, Roberto Souza, Augusto Braccialli, Ariovaldo Torresson, Márcio César de Castro Moraes, Osvaldo Luis Zago, Mário Sérgio Nunes da Costa, Gilson Muknika, Arlindo Chapetta, Noberto Estevam Araujo, Marcelo Marshioli, João José Viana, Aníbal Martinez.
Tive a oportunidade, importante para mim, de estabelecer um diálogo e contato numa discussão em que as idéias foram clareadas por questionamentos a respeito do maçom no mundo atual, da família maçônica, maçonaria a favor da vida e sobre os tempos tristes e doloridos que estamos vivendo em nosso país.


Devo registrar que na sessão conjunta das Lojas de Campinas, foi homenageado o maçom Antônio de Deus Gaviolli, recebendo título de “Embaixador da Associação Maçônica de Artes - AMA”.

Em Porto Feliz homenagem ao maçom Lairi Leão Medola, com a entrega da Cruz da Perfeição Maçônica, pelo seu genro Antônio de Deus Gaviolli e à Loja “Intelligência”, representada pelo seu Venerável Paulo José Nogueira, concedido o título de Estrela da Distinção Maçônica, pelos 184 anos da Oficina.

Em Santos recebi um belo troféu das mãos dos Veneráveis Mestres das 3 Lojas que conduziram a sessão. Recebeu a Medalha de Benemérito do Grande Oriente do Brasil, o irmão Richard Paes Lyra, em noite prestigiada por mais de 120 maçons, representados por 25 Lojas, comitivas de Praia Grande, Mogi das Cruzes e Veneráveis Mestres, Emílio Urbano, Lindimar Almeida, Acácio Marques, Alfredo Czekay, Celso Blanco, Luiz Tadeu, Eli Celice, Edu Ferreira e José Antônio Milat.

Mas o que também me leva a produzir o título deste artigo é encontrar o livro intitulado “Intelligência – A Loja Mãe da Maçonaria Paulista”, a mim presenteado pelo maçom José Augusto Costa e Silva, de autoria de Reinaldo Crocco Junior, Orador naquela noite, foi o fato de que ao chegarmos a Porto Feliz, cidade que nasceu na margem esquerda do Rio Tietê, em um lugar que os indígenas nativos chamavam de Araritaguaba, termo tupi que significa "lugar da pedra de arara", caiu chuva intensa.

O mais antigo registro de Porto Feliz conhecido é de 1693, refere-se a uma fazenda de Antônio Cardoso Pimentel que originou o povoado. Um decreto de 13 de outubro de 1797 elevou o povoado à categoria de vila, mudando o nome para Porto Feliz. Oficialmente Porto Feliz tem a data de fundação em 13 de outubro de 1797.

A primeira Loja Maçônica da Província de São Paulo é, comprovadamente a Loja “Intelligência”, fundada no dia 19 de agosto de 1831, na Vila de Porto Feliz à margem do Rio Tietê, caminho obrigatório na época para os sertões de Cuiabá. Revelam os assentos maçônicos, sua fundação por dois maçons militares. João Batista Lobo de Oliveira e Luiz Pinto Bruce. O primeiro, já havia sido fundador da Loja “Razão”, que deu origem A Loja “Azilo da Razão”, da Cidade de Goiás.

Esses dois militares em missão do Exército e do Imperador, já conheciam o progresso que se vislumbrava para o povoado por conta das expedições fluviais pelo Rio Tietê e pelas intensas negociações entre os comerciantes da Vila e os poderosos proprietários das minas de Mato Grosso. Nesse histórico recanto paulista, fundaram a primeira Loja Maçônica do estado de São Paulo. Número 14, do Grande Oriente do Brasil.

Para que fosse possível compor o quadro inicial da nova Loja, cujos trabalhos seriam desenvolvidos no Rito Moderno, trataram de arranjar um terceiro obreiro e assim no dia 15 de dezembro, procederam a iniciação de João Gaudie Ley, também militar da Legião de Cuiabá.

Diz o excelente Orador, cuidadoso escritor e perfeito pesquisador da historia de Porto Feliz, Reinaldo Crocco Junior, de quem ouvi na sessão tocantes e emocionantes palavras, quando também afirma em sua obra: “Os trabalhos maçônicos de fundação da Loja “Intelligência”, Primaz da Maçonaria Paulista, se desenvolveram, certamente, sob a luz atenuada dos pavios que arderam no azeite das lamparinas, pois a luz elétrica somente chegou em Porto Feliz em 1912”.

Acrescentou em sua oratória que em passos firmes pelas vielas tortuosas e esburacadas, guiados pela luz refletida da lua e pela tênue iluminação das tochas incandescentes, os maçons frequentavam as sessões, fazendo a história de Porto Feliz.

Agora sim, chego ao fato que nos ligou, da recente noite de 17 de novembro de 2015, à noite de 19 de agosto de 1831, pois naquela data de 184 anos atrás, sem energia elétrica e agora, como é comum em tempos chuvosos, chegamos em Porto Feliz sob grande temporal, sendo realizada a sessão, em sua totalidade à luz de velas, quando cerca de 100 pessoas, entre maçons, cunhadas e sobrinhos da Ordem DeMolay, tivemos o prazer de reviver o momento histórico de fundação da Loja “Intelligência”.

Sou muito grato a todos presentes, registrando nominalmente os ex-Veneráveis Arlindo Quevedo, Francisco Arruda, José Augusto, José Figueiredo, Lauro Dióclates, Luiz da Silva Bueno, Marco Aurélio, Mário Karruz, Odisseu Bello, Reinaldo Crocco Junior, Walter Ponce e o atual Venerável Paulo José.

Assim caminho em minha trajetória, vivendo momentos emocionantes como este. Me posicionado através de uma caminhada que me conduza à base maçônica, constituída pelas células mais importantes, que são as Lojas. Condicionando-me com inteira dedicação a uma missão que recebo como viajante, missionário e andarilho em favor da Liberdade, Igualdade e Fraternidade, no fortalecimento e união do Grande Oriente do Brasil.

Parabéns Loja “Intelligência”, mãe da maçonaria paulista. Agradecimentos ao irmão e historiador Reinando Crocco Junior que me possibilitou colher estes dados históricos em seu livro.

 (*) Barbosa Nunes, advogado, ex-radialista, membro da AGI, delegado de polícia aposentado, professor e maçom do Grande Oriente do Brasil - barbosanunes@terra.com.br.



Smartphone Blu Life Play 3G Dual Chip - Câm. 8MP Tela 4.7" Android 4.2
Se nossas pesquisas e nossos textos tem sido útil para a sua vida, e se você quer apoiar "O Malhete" a continuar gerando conteúdos de qualidade, apoie a gente. Como? Fazendo uma doação.
Os Irmãos, amigos e admiradores que quiserem colaborar financeiramente conosco poderão fazê-lo com qualquer quantia, e com a periodicidade compatível com sua possibilidades clicando no botão abaixo.
Share on Google Plus

Editor Luiz Sergio Castro