Chico Buarque 70 anos: O artilheiro da MPB

*Por Tarcísio Faustini
Alguns motivos para Felipão pensar na possibilidade de escalar Chico Buarque, que completou 70 anos no dia 19 de julho, para jogar nesta Copa.
Ilmo. Sr. Luiz Felipe Scolari, já que nós, brasileiros, nos consideramos técnicos de futebol, venho mui respeitosamente requerer a inclusão do Chico Buarque no seu grupo que ora representa nossa pátria de chuteiras. Não adianta usar o argumento da idade, sei muito bem que ele já fez 70 anos. Esse é facilmente descartado, em vista dos que passo a enumerar, nesta minha pacífica manifestação.
Começo com o preparo físico. O senhor já viu como ele é magérrimo e anda lépido? Fico exausto só de ver filmes que mostram suas caminhadas na praia ou em Paris, certamente ele seria capaz de jogar 90 minutos e até prorrogações. Leia mais
Passemos à experiência esportiva: ele começou dente-de-leite, conforme conta na canção "Doze anos": "Ai que saudades que eu tenho duma travessura, o futebol de rua", cantada em tabelinha com Moreira da Silva, seu professor de malandragem, necessária para ser catimbeiro. Ganhou experiência internacional disputando o Campeonato Italiano de Diletantes e nas peladas durante excursões internacionais.


Vamos agora ao conhecimento técnico e histórico, nos aspectos literário e musical.

O senhor sabe os nomes dos jogadores da seleção húngara vice-campeã mundial em 1954? Duvido. Pois o Chico sabe e os usou para nomear personagens do seu livro "Budapeste".

Ainda no aspecto literário, são geniais as crônicas que ele escreveu para jornais brasileiros comentando a Copa do Mundo de 1998, na França, lembra?

Quanto ao aspecto musical, o senhor conhece algum compositor que tenha usado mais o futebol nas suas obras?

Nem Lamartine Babo, que fez os hinos para os clubes cariocas, chegou perto dele, autor até de uma canção chamada "O futebol", na qual compara esse esporte com a pintura. Nessa mesma canção, ele descreve uma troca de passes entre os craques Didi, Mané(Garrincha), Pagão, Pelé e Canhoteiro. O senhor seria capaz de imaginar uma jogada dessas, seu Felipão?
E rimar futebol com rock'n'roll, como ele fez em "Meu caro amigo", mais uma tabelinha dele com o Francis Hime? Tudo bem, o cara é fera em rimas. Mas precisa ter conhecimento de futebol internacional para fazer essa, em 'Biscate": "Quem te mandou tornar conhaque com o tíquete que te dei pro leite, quieta que eu quero ouvir Flamengo e River Plate", Se alguém lhe disser que essas canções são antigas, peço-lhe ouvir o mais recente CD do compositor, Chico, que tem citações futebolísticas nas faixas “Barafunda” e “Sem você no2”

Permita-me lembrar outras importantes características do nosso craque.

Ele conhece a administração do esporte, como proprietário de um time e um estádio: o Politheama e o Centro Recreativo Vinícius de Moraes. O primeiro cultiva a fama de não perder, segundo seu hino, e o segundo já foi pisado por grandes atletas, da música e do futebol, de Pelé a Ronaldo, embora o Chico reine absoluto na camisa 9. Como profundo conhecedor do futebol, nosso candidato inspirou-se nele, enquanto morava na. Itália, e criou um jogo de tabuleiro chamado Ludopédio, lançado no Brasil. Provavelmente, usou ali a grande habilidade adquirida nos campeonatos com o seu time de botões, outra grande escola.

E o sucesso com as mulheres? Enquanto Neymar não chega a ser exatamente uma unanimidade, o dono dos olhos ardósia (verdes ou azuis?) faz tanto sucesso que alguém já disse que todo homem brasileiro é corno, porque nossas mulheres são estão conosco porque não podem estar com o Chico Buarque. Então sua presença na seleção seria uma atração a mais para esse público.

Se ainda lhe resta alguma dúvida, meu caro, sugiro-lhe o DVD Chico – o futebol, à venda nas lojas do ramo, com duas. horas de música e futebol. Ou ouvir também as dezenas de canções do Chico com referência ao futebol, provavelmente mais numerosas até que aquelas dedicadas à alma feminina. Nesses termos, peço deferimento e que desconsidere o fato deste requerente não entender nem de futebol nem de música, ser apenas uma apreciador dessas artes que têm em comum, conforme demonstrado, o nosso artilheiro Chico Buarque.
*Tarcisio Faustini é produtor e apresentador do Programa DOMINGO BRASIL
 na rádio Universitária FM, 104,7, todo domingo das 10:00 às 12:00.
Texto publicado originalmente no Caderno Pensar, de A Gazeta”
Share on Google Plus

Editor Luiz Sergio Castro