PORQUE A FRANCOMAÇONARIA EXISTE HÁ TANTO TEMPO?


Afirmo que sua existência é devida ao fato de ela NÃO ser uma sociedade secreta. Isto é verdade: temos procedimentos de reconhecimento, ritos, cerimônias, e segredos, com os quais os profanos não estão familiarizados, nem podem apreciar as suas belezas sem conhecimento profundo da linguagem mística, composto que é das gemas da filosofia relacionada a belos símbolos, e onde a caridade cai silenciosamente assim como se precipita o orvalho do céu.


No entanto, falando estritamente, ela não é uma sociedade secreta!Uma sociedade secreta é dessas associações onde homens reúnem-se para discutir coisas em estrita confidencialidade, sem dar ao mundo qualquer conhecimento de sua missão.

Existem sociedades secretas onde homens são condenados a morrer, tramas e conspirações são inseridas, anarquia mantém a tendência completa e são realizadas ações malvadas, podres, execráveis e totalmente condenáveis. 

Ao mundo não é permitido saber quem forma tais grupos, seu ponto de encontro é segredo profundo e todos os conectados com estes grupos são conspiradores, traidores, ateus e anarquistas que têm o selo da perdição em suas almas.

Para ilustrar a minha posição, aponto para a famosa organização criminosa iraniana Clan-na-Gael, para o pavor da máfia e similares. Suas histórias são tanto conhecidas como comentadas. São sociedades secretas que espalham morte e destruição. Elas possuem membros para divulgar seus atos escusos ligados com morte imediata.

Agora, se Maçonaria é exibida como SOCIEDADE SECRETA, seus dias estão contados. Mas disso nada temos a temer!

Agora, se ela não é uma sociedade secreta, então o que ela é?


É uma sociedade privada, formada com ampla base no amor fraterno, assistência e verdade. A nenhum homem livre com as qualificações físicas essenciais é negada a admissão de ele vir a ser "bom e verdadeiro".

As constituições das lojas maçônicas são públicas para o mundo contemplar. As antigas leis e regulamentos estão abertos para inspeção. Seus princípios e virtudes cardinais adicionam cintilação ao seu brilho. Suas leis e jurisprudência estão publicadas para o mundo. Essas coisas não são secretas!

Nenhum homem, mesmo em presença de seus preconceitos, negará o fato de que ela tem um bom efeito sobre a raça humana. Ela continua a existir enquanto outras coisas da criação humana morreram.

Ela existe hoje porque reúne em si todas as virtudes. Ela sobreviveu às bulas de Roma e à perseguição de reis e imperadores. Deve haver um motivo para isso? 

Enquanto a Maçonaria não oferece passagem para o céu, a sua bandeira é pintada em letras douradas de fé em Deus e esperança na imortalidade. Isto, em minha opinião, é a chave para a situação.

Seus ensinamentos foram sempre tão puros que seus adeptos têm guardado isso com fidelidade amorosa. Ela não pode morrer porque é construída sobre uma base firme com princípios bem alicerçados, que durará "até quando o tempo não mais existir".

Nenhuma instituição humana teve sobre si acumulada tão grande quantidade das mais vis indignidades. Os papas insistem que a sociedade maçônica admite o crente e o ateu em plataforma comum. Alegam que a Maçonaria tem e está se empenhando em guerra contra a igreja e os governos da Terra. Que expressões tolas! Terão eles se familiarizado com suas palestras, com seu simbolismo? Terão eles investigado antes de sentenciar? Eles podem ter sido honrados a juntarem-se a este grande cortejo do maior homem do mundo; em marcha ao cume e à perfeição do nosso objetivo - a VERDADE.

A Francomaçonaria tem existido porque ensina a lei moral. O homem que usa o nome de Deus em vão é culpado de delito maçônico. 

Ela existe porque nunca se curvou às intrigas dos políticos.

Ela existe porque tem uma linguagem universal não encontrada em nenhuma outra sociedade.

Ela existe porque é uma ciência baseada na filosofia daquela religião em que todos os homens concordam na existência de um GOVERNANTE SUPREMO e da imortalidade da alma. 

Enquanto reinos e repúblicas têm caído, no tempo em que se travaram guerras entre as nações, ela continuará a existir tanto no lado do conquistador quanto do conquistado. Seus Landemarques são indestrutíveis.

Maçonaria tem sido estabelecida por gerações. Manteve suas características peculiares. Seus princípios foram mantidos. Seus ensinamentos esotéricos são inalterados. Seu cerimonial tem sido preservado. Suas tradições são dadas como em tempos idos.

A devoção dos seus associados agora é tão séria, sincera e inexpugnável, como no início.

A história que fez é indevassável. As bases em que se assenta são eternas.

Estes fatos dificilmente serão negados, mesmo entre profanos incrédulos. A fé nestas afirmações é a herança do verdadeiro maçom! Que outra instituição humana pode fazer estas afirmações a respeito do inteligente estudante pensador dos registros do tempo que têm escrito no "agora" assim que ele se torna "ontem"? Deve, portanto, existir na Francomaçonaria alguma vitalidade especial, algum espírito indefinível ou essência, alguma faculdade inerente sobrehumana que operou para garantir tais resultados. 

Através dos tempos a Francomaçonaria viveu e manteve o seu carácter. Quando a ascensão e queda de impérios, das revoluções do pensamento, das opiniões e formas de governo desenvolveram alterações dentre a humanidade; Quando os iconoclastas quebraram imagens, as leis, a ordem social, derrubaram muitas instituições, fizeram mártires e vítimas e imolaram muitos de seus seguidores dedicados, ainda assim, a Francomaçonaria sobreviveu. Forte, persistente, autossuficiente, cheia de fé e pronta para os perigos, a arte real nunca vacilou no desempenho das suas funções.

Em cavernas, nos topos das montanhas, o ofício conheceu e obedeceu aos ensinamentos recebidos. Desta forma os irmãos realizaram suas cerimônias. Eles foram animados pelo espírito de uma devoção à sua associação que parecia participar de um reconhecimento solene como uma revelação. Suas relações sociais, sua identificação com o povo do país, as suas responsabilidades como unidades nas organizações comunitárias das quais faziam parte, enquanto se tornavam receptivos às leis profanas, em nenhuma forma enfraqueceram os laços ou ligações que os vinculam à fraternidade da arte do ofício. 

Em qualquer ocasião eles foram e sempre serão francomaçons. Obedeciam ao magistrado civil, nunca se envolviam em conspiração contra o governo, acreditavam em Deus e confiavam em Seus cuidados. 

Muitas vezes estes francomaçons eram apenas algumas poucas pessoas. Isso pode ser dito, em certo sentido, que a sua força era oriunda de sua fraqueza. Mas, não! Foi a força que a história do passado da ordem fez que ocasionou que viesse a constituir-se irresistivelmente potente. Foi uma fé que marcou as evidências concorrentes da organização indestrutível que chegou a eles desde os seus pais. 

O silêncio permeia a coragem dos artesãos a não abandonarem a Loja. Os princípios que formaram o poder de cimentação dos fundamentos da Francomaçonaria foram o refúgio e a defesa dos irmãos.

Os ensinamentos da Loja os inspiraram. O dever nunca foi ignorado. A "Grande Luz" era uma lâmpada para seus pés. Da qual eles nunca se afastaram. Enquanto aderiram à obediência sem questionamento sentiam-se seguros e protegidos.

Isto, irmãos, é vossa herança! Suas obrigações para comandar a estrita aderência aos princípios e ensinamentos que indelevelmente marcam e manifestam a afirmação do que é, tal como nas gerações passadas, a verdadeira Francomaçonaria.

Esta é a nossa herança! É digno de nossa seriedade, sinceridade e devoção cumpridora. Não permita que nada nos separe de nossa corajosa aderência a cada princípio que torna a nossa herança tão gloriosa!

A Francomaçonaria e seus Landemarques.

Desconheço o Autor. 
Tradução: Charles Evaldo Boller
Fonte: A Pedra Bruta, Agosto de 1892 e junho 1893.
Fonte: http://www.alferes20.net/


Share on Google Plus

Editor Luiz Sergio Castro