PÍLULAS MAÇÔNICAS – ALFÉRIO DE GIAIMO NETO

Recebi autografado pelo autor, Alfério de Giaimo Neto, quando de palestra na capital paulista em 28 de abril de 2015, o livro de sua autoria intitulado “200 Pílulas Maçônicas”.

É um maçom integrante da Loja “Jacques DeMolay”, de São Paulo, com uma atuação constante e pesquisadora. Membro da Academia Maçônica de Ciências e Letras, fundada pelo renomado escritor José Castellani. Articulista da revista Universo Maçônico. Já foi condecorado pela Câmara Municipal de Taubaté, pela Ordem dos Cavaleiros da Concórdia e recebeu a Comenda do Mérito Cívico e Cultural, oficializada pelo Ministério da Educação e Cultura. Profissionalmente é Engenheiro Metalurgista e Consultor Internacional em Metalurgia. Recentemente foi designado e empossado pelo Grão-Mestre Geral Marcos José da Silva, no cargo de Secretário Adjunto de Relações Exteriores do Grande Oriente do Brasil.

Para publicação de suas obras, esta a terceira, recebeu apoio e patrocínio dos maçons Egisto Rigoli, Júlio Takano, Osvaldo Zago e Lojas “Jacques DeMolay”, “L’Áquila Romana” e “Cavaleiros do Ocidente”. Seu objetivo é através de pesquisas em livros e enciclopédias, proporcionar em pílulas resumidas, a possibilidade de uma leitura fácil, de clara de percepção, de escritores como José Castellani, Nicola Aslan, Theobaldo Varolli Filho, Kurt Prober, Raimundo Rodrigues, Jules Boucher, Alec Mellor, Albert Galatin Mackey, Bernard Jones, Henry Wilson Coil e outros.


Trata-se de uma obra significativa para as Lojas Maçônicas e estudiosos da Arte Real. Os interessados em adquirir esta publicação, podem entrar em contato com alferiodegiaimo@yahoo.com.br

Na pílula número 49, está a pesquisa “Simbolismo da Luz na Maçonaria”.

“Já comentamos sobre Simbolismo e sobre alguns Símbolos pertencentes à Maçonaria. Vamos agora comentar sobre o termo simbólico “LUZ”, que foi traduzido e adaptado da “Masonic Holy Bible” dos EUA, Wichita, Kansas.

“LUZ é de longe o mais importante e misterioso termo na Maçonaria, que é assim aceito pela maioria dos membros da Fraternidade. É o primeiro dos símbolos apresentado ao Iniciado, e continua sendo mostrado a ele com várias modificações através de seu progresso na vida maçônica.

Representa como é aceito, “Conhecimento, Verdade ou Sabedoria”. Contem dentro de si uma alusão muito mais difícil de compreender dentro da essência da Maçonaria Especulativa, e abraça, dentro dela, o significado de todos os outros símbolos contidos na Ordem.

Maçons são enfaticamente chamados de “Filhos da Luz” porque estão, ou deveriam estar, na posse do verdadeiro significado do símbolo; enquanto os não-iniciados estão, pela analogia da expressão, na “Escuridão”.

Em todas as antigas religiões e em todos os “antigos mistérios”, a reverencia para a LUZ, como uma emblemática representação do ETERNO PRINCÍPIO DO BEM, é predominante.

Isto foi verdade no Hebraísmo e Judaísmo, e é verdade no Cristianismo; isto é verdade do começo ao fim do Ritual da Maçonaria. no sentido mais predominante.

A maior LUZ da Maçonaria é a Palavra de Deus; maçons são empenhados em solicitar dessa fonte de verdadeira luz e dos princípios da Ordem e crescer avançando na LUZ.

A fonte original de toda verdadeira LUZ MAÇONICA é Deus; somente os homens que caminham nessa luz podem evitar a “escuridão”; somente esses homens são ditos “Filhos da Luz””.

Concluo este artigo homenageando o irmão Alfério de Giaimo Neto, pela sua denodada persistência em pesquisar, registrando a pílula maçônica número 85, “Caráter Social da Maçonaria”.

“Neste artigo, vou transmitir para todos aquilo que o Irmão Mestre Albert Gallatin Mackey afirma na sua “Encyclopédia of Freemasonry – vol 2”: Albert Gallatin Mackey, americano, um dos maiores historiadores maçônicos. Grande pesquisador da Ritualística e da simbologia maçônica. Nasceu em Charleston, Carolina do Sul, em 12 de março de 1807, falecendo em 1881.

A Francomaçonaria atrai nossa atenção como uma grande Instituição Social.

Deixando de lado, dentro da Loja, as distinções de posição e riqueza que são, contudo, necessárias no mundo para o progresso normal da sociedade profana, os seus membros reúnem-se em suas Lojas tendo em comum um nível de fraternidade e igualdade.

Somente as virtudes e os talentos constituem títulos e merecem preeminência, sendo o grande objetivo de todos o esforço para poder trabalhar melhor e colaborar ao máximo com todos.

A forte amizade e a afeição fraternal são incultadas ativamente e são assiduamente cultivadas com vínculo místico, distingue de maneira peculiar a sociedade ali formada.

Finalizando a Pílula Maçônica número 85, o autor usa a seguinte frase: “E é por isso Washington declarou que o benevolente propósito da Instituição Maçônica é de alargar a esfera da felicidade social e de promover a felicidade da raça humana”.

Parabéns ao irmão Alfério de Giaimo Neto pelo seu interesse e dedicação às pesquisas maçônicas.

Barbosa Nunes, advogado, ex-radialista, membro da AGI, delegado de polícia aposentado, professor e maçom do Grande Oriente do Brasil - barbosanunes@terra.com.br







Share on Google Plus

Editor Luiz Sergio Castro