Morre o cantor e compositor Paulinho Tapajós, autor de Andança

CULTURA
Autor de 'Andança', Paulinho Tapajós morreu aos 68 anos
O cantor e compositor Paulinho Tapajós, autor de Andança, morreu nesta sexta-feira (25) aos 68 anos. De acordo com informações publicadas no Facebook do primo do artista, o também músico Tibério Gaspar, ele lutava contra um câncer há pelo menos seis anos.
 Autor de 'Andança', Paulinho Tapajós morreu aos 68 anos
 “Nesse momento recebi com muito pesar a notícia de falecimento do meu primo e amigo Paulinho Tapajós. Começamos juntos a carreira musical. Paulinho era um poeta de infinita grandeza. Estou muito triste com essa notícia embora soubesse que era inevitável e o melhor pra ele. Paulinho lutou bravamente contra um câncer. Foram uns seis anos de sofrimento intenso. Meus pêsames Heloísa. Querido amigo descanse em paz e até algum dia. Um beijo de luz na sua alma...”.
Paulo Tapajós Gomes Filho nasceu no Rio de Janeiro, no dia 17 de agosto de 1945. Era filho do compositor, cantor e radialista Paulo Tapajós, com quem teve as primeiras noções de música, e de Norma Tapajós, e irmão do compositor Maurício Tapajós e da cantora Dorinha Tapajós. Durante sua infância, costumava frequentar o auditório da Rádio Nacional, emissora da qual seu pai era diretor artístico. Cresceu em um ambiente musical, convivendo desde menino com vários artistas, como Emilinha Borba, Marlene e Radamés Gnatalli, que costumavam frequentar a casa de seus pais.
Na adolescência, estudou violão com Léo Soares e Arthur Verocai, que veio a ser seu primeiro parceiro.
Paulinho iniciou sua trajetória artística no final da década de 1960, quando ainda cursava Arquitetura na Universidade Federal do Rio de Janeiro, onde se formou em 1971.
Participou, em 1968, do "Música Nossa", projeto realizado com o objetivo de promover encontros entre compositores e cantores em espetáculos realizados no Teatro Santa Rosa, no Rio de Janeiro. Nesse ano, teve pela primeira vez registrada uma música de sua autoria: "Madrugada" (com Arthur Verocai), incluída no LP "Música Nossa", em gravação de Magda.
Entre 1968 e 1970, destacou-se como compositor premiado em diversos festivais de música, com destaque para sua participação no III Festival Internacional da Canção, no qual obteve o terceiro lugar, na fase nacional, com a canção “Andança” (com Edmundo Souto e Danilo Caymmi), hoje com quase 300 gravações, e no IV Festival Internacional da Canção, no qual obteve o primeiro lugar na fase nacional e o primeiro lugar na fase internacional, com “Cantiga por Luciana” (com Edmundo Souto), hoje com mais de 100 gravações.

Fonte: Jornal do Brasil
Share on Google Plus

Editor Luiz Sergio Castro