CONHECENDO A ARCA DE NOÉ

Ir Benedito Moreira da Cunha
Segundo ouvimos dizer: a Arca foi construída por Noé a mando de Deus, para salvar a si mesmo, sua família e um casal de cada espécie de animais do mundo, antes que viesse o Grande Dilúvio da Bíblia. Existem diversos detalhes que às vezes não é bem o que se ouve no dia-a-dia.
A história é contada em Gênesis 6-12[1] [2]. Deus ordenou a Noé que levasse sua esposa, seus três filhos: Sem, Cam e Jafé, com as respectivas esposas, totalizando 08 humanos. Algumas versões da Bíblia afirmam que a arca teria recebido até sete casais de animais "puros" e um casal dos "impuros". Segundo o Antigo Testamento, puros eram só os ruminantes de casco fendido (partido ao meio), como a vaca. Todos os demais eram impuros e não serviam nem para comer.
Conforme a tradição bíblica, Deus decidiu destruir o mundo por causa da perversidade humana, mas poupou Noé, o único homem Justo e Perfeito na face da Terra em sua geração, mandando-lhe construir uma arca para salvar sua família e representantes de todos os animais e aves.
A história de Arca de Noé, de acordo com os capítulos 6 a 9 do livro do Gênesis, começa com Deus observando o mau comportamento da Humanidade e decidido a inundar a terra e destruir toda vida. Porém, Deus encontrou em Noé um bom homem, virtuoso, inocente entre o povo de seu tempo, ou seja, era um home Justo e Perfeito. Então decidiu destruir todos os viventes da face da terra, salvando Noé e sua família que iria preceder uma nova linhagem do homem. Deus disse a Noé para fazer uma arca e levar com ele a esposa e seus filhos Sem, Cam e Jafé, e suas respectivas esposas. E, de todas as espécies de seres vivos existentes então, levar para a arca dois exemplares, macho e fêmea. A fim de fornecer seu sustento, disse para trazer e armazenar alimentos.

Deus havia concedido 120 anos (Gn 6.3) de prazo para que o homem abandonasse o caminho ímpio e se voltasse para DEUS, o que não ocorreu.

Como o homem não se voltou para Deus, continuando no caminho ímpio, Deus ficou furioso com os pecadores, Deus, porém, conheceu Noé que era um homem Justo e Perfeito e o escolheu para sobreviver porque era o único homem justo e perfeito na face da terra. Noé tinha cerca de 500 anos de idade.

A CONSTRUÇÃO E O TAMANHO DA ARCA:
As madeiras empregadas foram o cedro e o pinho, uma vez que até hoje os teólogos não concluíram o que seria o gôfer, madeira utilizada na arca original (Gênesis 6:14), com revestimento de piche por dentro e por fora, para impermeabilizar o casco.

Consta em Gn 6.15,16 que a Arca de Noé teria o comprimento de 300 côvados, largura de 50 côvados e altura de 30 côvados.

As instruções de Deus para Noé teriam especificado a construção de uma janela de 45 cm de lado no andar superior e uma porta lateral, para a entrada da bicharada. A janela serviu para Noé, ao final do dilúvio, soltar uma pomba para buscar sinais (um ramo de oliveira) de terra.

Para calcularmos o tamanho da Arca de Noé, buscamos o Caderno de Estudos Maçônicos, do consultório maçônico de José Castellani, que define sobre o tamanho do côvado.

Côvado = substantivo masculino (do latim: cubitum = cotovelo, pelo arcaico: covedo) é uma antiga medida linear, básica da antiguidade, que tomava a média da distância que ia do cotovelo à ponta do dedo médio, em um homem adulto. O côvado é muito citado em Rituais e catecismos maçônicos, já que foi a medida usada na construção do tabernáculo e do Templo de Jerusalém. Existiam, todavia, dois tipos de côvados: o comum, ou o menor, e o régio, que era o maior, e ainda não se estabeleceu se os hebreus usaram o côvado egípcio, ou o babilônico. O Côvado egípcio tinha 450 milímetros e o régio, 525 milímetros, enquanto o comum babilônico tinha 444 milímetros e o régio tinha 518 milímetros. Por isso, quando se deseja transformar o côvado para o sistema métrico, em relação ao tabernáculo e ao templo, pode-se dizer que, em média, o côvado tinha 500 milímetros.

Assim, considerando o côvado médio de 50 centímetros, a arca de Noé media 150 metros de comprimento, 25 metros de largura e 15 metros de altura. A Arca possuía três andares. Trata-se de uma arca e não um navio. Ela foi construída para flutuar e não para navegar.

O DILÚVIO:
Portanto, o dilúvio sobre a terra foi em decorrência da progressão contínua da maldade do homem (Gn. 6.5), e a decisão de DEUS em destruir essa geração (v.7). Como Noé era um home justo e perfeito, salvou-se, juntamente com sua família (8 pessoas), atendendo à voz de DEUS para construir uma arca (símbolo de Cristo). Após os efeitos do Dilúvio, DEUS estabeleceu um acordo com Noé (Gn 9.9-17) que não mandaria mais dilúvio. A fim de se lembrar dessa promessa, Deus afirmou que colocaria o Arco da Aliança nas nuvens, dizendo: "Sempre que houver nuvens sobre a terra e o arco aparecer nas nuvens, eu me lembrarei da eterna aliança entre Deus e todos os seres vivos de todas as espécies sobre a terra". Este o símbolo do Arco-iris.

A DURAÇÃO DO DILÚVIO:
 Foram 40 dias de chuvas caindo (Gn 7.12), 110 dias de águas subindo (Gn 7.24), 74 dias de águas diminuindo (Gn 8.5), 40 dias soltou um corvo (Gn 8.6-7), 7 dias soltou uma pomba (Gn 8.8), 7 dias soltou outra pomba (Gn 8.10), 7 dias soltou outra pomba (Gn 8.12), 29 dias removeu a cobertura da arca (Gn 8.13 com 7.11), 57 dias encontrou terra seca (Gn 8.14), 371 dias no Total (Fonte: Geografia dos Tempos Bíblicos, E. Tognini). O total de dias passados na Arca foi de 1 ano e 6 dias.

Este um singelo resumo, não para esgotar o assunto, mais para atiçar a curiosidade dos Irmãos e despertar o gosto pelos estudos, lembrando que o verdadeiro maçom busca o estudo das ciências e a prática das virtudes (compromissos iniciáticos).







Share on Google Plus

Editor Luiz Sergio Castro