Pastor batista acusa ter sido demitido da Igreja por luta contra homofobia

Felipe Prestes
Do Sul21
O início de ano tem sido difícil para o pastor batista baiano Sérgio Emílio Meira Santos (foto). No dia 2 de janeiro, Sérgio recebeu a notícia de que fora demitido da função de presidir os cultos na Igreja Batista da Graça em Vitória da Conquista (BA), uma das maiores do interior nordestino com 310 mil habitantes. O motivo alegado da demissão era a falta de visitas a casas de fiéis idosos. Mas testemunhas relataram ao pastor que uma reunião do Conselho de Administração da Igreja, no dia 23 de dezembro, definiu sua demissão por outro motivo: a presença de um rapaz de 16 anos, homossexual, tocando teclado nos cultos. Por outro lado, batistas apontam que Sérgio faz uma denúncia mentirosa como vingança por sua demissão.
Share on Google Plus

Editor Luiz Sergio Castro