Palavra de Grão-Mestre Geral

Tipos de Corrupção


Soberano  Grão-Mestre Geral
Marcos José da Silva
Movimento de indiscutível oportunidade é esse que vem surgindo atualmente, inspirado pela efervescência social contra abusos por parte de representantes do poder público, em regra associados a figuras exponenciais da empresa privada, no manejo do dinheiro público. Trata-se de protesto contra a corrupção, que assume a cada dia, proporções mais avantajadas.

Em tal combate serão empunhadas, certamente, pelos seus promotores as armas da alta moralidade, dos princípios sólidos da ética e dos mais contundentes exemplos da incorruptibilidade. “Vós sois o sal da terra” (Mat. 5, 13). O sal, em Maçonaria, é o símbolo da incorruptibilidade, lição cristã a que todos deveriam seguir. A alta moralidade e a perfeita conduta ética em todos os setores e níveis sociais é justa aspiração da Nobre Arte.

A garantia contra a corrupção é a convivência, desde tenra idade, com os altos princípios da moral e com os exemplos paternos e familiares em geral, a serem infundidos no espírito infantil para fazerem efeito, na idade adulta do cidadão totalmente infenso à mentira, ao engano e à tendência em tirar proveito pessoal e vantagem ilegal em qualquer situação.

A transparência lado a lado impediria mesmo as pequenas violações da moral ainda que diante de grandes violações. Eis algumas: pequenas gorjetas de trânsito, compra de um “inocente” disquinho pirata, mentirinhas convenientes ao telefone familiar, “esquecer” a entrega da nota fiscal a que o freguês tem direito, arranjar meios fraudulentos para diminuir o imposto devido, adiantar o processo de um amigo em detrimento do direito alheio, etc.

Trata-se de pequenos “negócios” que, somados, revelariam sem dúvida considerável quantia subtraída ao erário, isto é, corrupção disseminada de alto a baixo nos diversos níveis sociais e que se equipara, do ponto de vista da moralidade, à corrupção concentrada nos escalões mais elevados do poder político e econômico.

O grande valor das manifestações populares contra a corrupção, declaradas apartidárias, está na qualidade moral dos seus aderentes; se realmente puros e virtuosos, se não esteja inflamadas por bandeiras viciosas, e de oportunismo político.
Share on Google Plus

Editor Luiz Sergio Castro